Saturday, June 22, 2024

Revigrés investe em linha de produção inovadora em Portugal

Must read

Sponsored Content: Revigrés

A construção, no geral, e o setor da cerâmica, em particular, enfrentam grandes desafios que obrigam as empresas a posicionar-se perante temas como a sustentabilidade, a neutralidade carbónica e a digitalização. A Revigrés assume-se como um player relevante e impulsionador nestas matérias. Não só pela política ambiental que desde sempre acompanha a sua atividade – assente em práticas de eco-design apologistas da eficiência energética, da descarbonização e da redução do desperdício – mas também pelo desenvolvimento de produtos que respondem às exigências de performance ambiental dos edifícios e às necessidades dos modelos de construção emergentes.

Neste âmbito, a empresa lançou recentemente soluções com novos formatos e espessuras que vão ao encontro das tendências de mercado e das atuais preocupações com a sustentabilidade da construção. As novas coleções LIGHT XL, com o grande formato 120x278cm e uma espessura reduzida (6mm) apresentam uma elevada performance técnica, sendo ideais para renovações, sem demolição. Através da recriação das texturas e efeito estético dos materiais naturais, criam um efeito visual de continuidade e ultrarrealista, evitando a delapidação destes recursos.

A sua leveza contribui, por um lado, para reduzir a pegada ecológica associada ao seu processo de produção e transporte e, por outro, torna a sua aplicação muito versátil, adequando-se a sistemas como a construção modular e a usos não tradicionais dos revestimentos e pavimentos cerâmicos, como a produção de mobiliário. Nos formatos 60×60 e 60x120cm, a Revigrés tem também disponível pavimento com espessura de 20mm, uma solução técnica com elevada resistência mecânica, em alternativa às placas de pedra e cimento, ideal para espaços exteriores.

Através da aplicação a seco, sem colagem, Tech 20mm contribui para a redução de resíduos em obra, podendo ser colocado sobre gravilha, relva, superfícies irregulares e pavimentos técnicos sobrelevados. De fácil e rápida aplicação, é ainda removível. Colado, representa um produto de altíssima resistência mecânica, sendo adequado para garagens, espaços comerciais ou industriais.

As novas soluções da Revigrés dispõem de Declarações Ambientais de Produto (DAPs/ EPDs) que atestam o impacto dos materiais na saúde humana, ecossistemas e consumo de recursos materiais e energéticos. Desta forma, estes produtos contribuem para a melhoria de classificação em diversos sistemas de certificação ambiental internacionais dos edifícios, entre os quais os sistemas BREEAM e LEED.

A revolução do setor cerâmico em Portugal

Os novos lançamentos LIGHT XL e Tech 20mm são apenas o primeiro passo da Revigrés num processo inovador com que pretende continuar a destacar-se e contribuir para o cumprimento das metas da neutralidade carbónica, para a promoção da economia circular, para a transição energética e para a modernização do setor cerâmico e da construção nacionais.

Neste sentido, no segundo semestre de 2024, a empresa terá instalada uma nova linha de produção com um sistema de prensagem contínua totalmente inovador em Portugal, dedicada ao lançamento de produtos de valor acrescentado e mais sustentáveis – em grande formato e diferentes espessuras – através de equipamentos industriais energeticamente mais eficientes Integrado nas agendas Illiance e Ecocerâmica – financiadas pelo PRR – Plano de Recuperação e Resiliência e Fundos NextGeneration EU – e com um investimento de 14 milhões de euros em capitais próprios, o projeto prevê a utilização de fontes de energia elétrica renováveis, como o solar, a incorporação de hidrogénio no processo produtivo e a criação de simbioses para a incorporação de resíduos.

Nesse sentido, a central fotovoltaica para autoconsumo da Revigrés já contribui com 20% do total de energia elétrica consumida pelas unidades fabris e é responsável pela redução das emissões de CO2 em 1,826 toneladas/ano, o que equivale à plantação de cerca de 47.000 árvores. Está ainda prevista a instalação de um forno para queima parcial de hidrogénio verde até 50%, a alteração dos atomizadores para consumos até 100% de hidrogénio e a instalação de uma central de produção de hidrogénio verde que contribuirá para reduzir as emissões de CO2 em 8.500 toneladas/ano.

E se, até ao momento, a Revigrés já incorpora quase 100% dos resíduos industriais no seu processo produtivo, a empresa propõe-se agora a incorporar material reciclado extra setor e proveniente da reconstrução, em novos revestimentos e pavimentos cerâmicos, reduzindo o consumo de matérias-primas e, consequentemente, as emissões de CO2 resultantes do seu transporte. Ao contribuir para a circularidade do ciclo de vida dos materiais cerâmicos, este projeto constitui também um passo revolucionário no setor.

No caminho para a digitalização

Dando seguimento à sua aposta na Metodologia BIM, em que já tem disponíveis as suas soluções mais técnicas – incluindo as coleções LIGHT XL e Tech 20mm – a Revigrés também está envolvida ativamente no desenvolvimento de uma Plataforma Nacional de Conteúdos BIM para a Indústria Cerâmica – a BIMCer – previsto na agenda Ecocerâmica do PRR.

Esta plataforma permitirá a criação de uma biblioteca pública e nacional de moldes digitais de produtos cerâmicos utilizando a tecnologia BIM que incorpora diferentes camadas de informação, nomeadamente, sobre a pegada de carbono dos produtos. Este projeto está alinhado com a reforma e simplificação dos licenciamentos para corresponder aos requisitos da nova Plataforma Digital única de âmbito nacional: a PEPU – Plataforma Eletrónica dos Procedimentos Urbanísticos.

Prevê-se que a implementação desta plataforma em Câmaras Municipais aconteça já em 2026, o que inclui a obrigatoriedade progressiva de apresentação de projetos de acordo com a Metodologia BIM, a partir de 2030. Um processo que também trará grandes desafios aos projetistas e no qual a Revigrés pretende continuar a posicionar-se como um parceiro facilitador, no caminho para a Construção 5.0.

Latest article