Sunday, May 26, 2024

Segunda-feira em Paris: Pierre Cardin e Coperni

Must read

Traduzido por

Helena OSORIO

Publicado em



5 de mar. de 2024

No 8.º dia da Paris Fashion Week de outono-inverno 2024, a Pierre Cardin levou as suas space-girls para debaixo de água, enquanto que a dupla por detrás da Coperni fez com que traçassem um caminho até à poeira estelar.

Pierre Cardin: astronautas de Cardin dos anos 60 trocam espaço pela profundidade do oceano

A icónica marca francesa, reconhecida como uma das mais prolíficas em termos de licenciamento desde a década de 60 – o nome está estampado em mobiliário, arte de mesa e até em água mineral – deu um show à altura do seu património monumental.

Pierre Cardin – Outono-Inverno2024/2025 – Womenswear – França – Paris – ©Launchmetrics/spotlight

Apresentada dentro das paredes do Atelier des Lumières, o espaço de exposição de 3.000 metros quadrados de Paris dedicado à arte digital, a coleção desta estação foi revelada tendo como pano de fundo telas digitais gigantes. As telas desenrolaram-se inicialmente contra um filamento branco esfumado, a lembrar a Via Láctea, antes de revelar a linha condutora do show: o oceano. Golfinhos, criaturas marinhas de todos os tipos (tubarões, peixe-balão e tamboril, meu Deus!), assim como recifes de coral engolfaram os convidados, onde se incluíam Amandine Petit, coroada Miss França 2021, e o príncipe Carlos de Bourbon-Duas Sicílias.

Embora Rodrigo Basilicati-Cardin, designer da maison desde 2022 e sobrinho do saudoso Pierre Cardin, tenha sempre explorado o notável ADN da moda da Era Espacial do seu membro da família fundadora, decidiu para o outono-inverno de 2024 mergulhar as suas amazonas astronautas nas profundezas do oceano. Uma modelo usava um conjunto completo de PVC preto sob um vestido curto laranja-sangue, com bainha de tentáculos de polvo, enquanto outra desfilava com um vestido de cetim azul meia-noite pela altura dos pés com um alfinete circular prateado em formato de concha.

Noutro aceno ao território de Poseidon, a parte detrás do vestido preto fino de uma jovem foi adornada com barbatanas verde limão translúcidas e onduladas, enquanto que o casaco de ombros pontiagudos e cintura marcada em brocado nacre waffle de outra brilhava como a de um peixe exótico. Quanto a acessórios, as modelos usaram óculos escuros e bolsas geométricas em formato de triângulos fechadas com um logotipo circular da Pierre Cardin em forma de concha. Os looks também se espalharam pela passerelle no clássico material preferido do mergulhador: o Neopreno.

Um desfile geral que não deixou ninguém com a sensação de estar a afogar-se e revelou uma ideia mais liberta de qual é agora a visão da marca de Basilicati-Cardin, evoluindo de desfiles anteriores que se aproximavam demais do mesmo tema da Era Espacial.

Coperni: musas do meteorito explodem na passerelle

A marca francesa Coperni é famosa pela sua teatralidade moderna; a sua coleção de primavera-verão 2023 contou com cães-robots e, antes disso, o sensacional vestido spray de Bella Hadid.

Coperni – Outono-Inverno2024/2025 – Womenswear – França – Paris – ©Launchmetrics/spotlight

Para o outono-inverno 2024, a dupla de designers Sébastien Meyer e Arnaud Vaillant ocupou o maior estúdio de televisão da Europa, o Studio 217, localizado nos arredores de Paris. Os convidados foram recebidos com spritzes de Apérol enquanto aguardavam o início do show noturno, durante o qual puderam testemunhar a chegada da atriz francesa Adèle Exarchopoulos (que acaba de ganhar o César de Melhor Atriz Secundária) e da cantora Angèle, bem como o recorrente desta temporada o habitué do show Cole Sprouse e a sua namorada modelo Ari Fournier.

Dentro da enorme sala, um retângulo preto gigante, que se estendia do pavimento ao teto, dominando o centro do espaço, foi iluminado quando o desfile começou.

As primeiras modelos dispararam pelo espaço vestindo macacões arquitetónicos, de ombros pontiagudos, tipo blazer, imitando gabardinas (mas conhecendo a Coperni, eram na verdade tecidos técnicos imitando tecidos tradicionais?!) e blusões de couro clássicos que se tornaram desonestos. Em geral, a Coperni manteve a sua estética cool-girl parisiense com formato elegante e estreito e formas alongadas.

Usadas como clutches, as mini bolsas aspiravam sacos plásticos tipo Ziplock, tornando-as difíceis de discernir. No entanto, um modelo masculino revelou o seu, mostrando que era na verdade feito de aerogel, um material usado pela NASA para satélites capturarem poeira estelar. A futura bolsa pesa apenas 35 gramas e é feita de 99% de ar – ungindo a Coperni mais uma vez como a marca inovadora na moda, que ultrapassa os limites do design da indústria como a conhecemos.

Mais alguns looks emblemáticos; uma minissaia de alumínio amassado encimada por um pólo de malha azul marinho cintilante (como poeira estelar!), com mangas compridas, bem como um vestido justo de crepe preto sem costas, com um anel de penas flutuante em torno do busto. Poderia até ser um dos anéis de Saturno!

Para o final, o bloco gigante explodiu numa luz sombria e ofuscante, como o disparo de um meteorito. Os modelos reuniram-se numa caminhada acelerada, como poeira cósmica vazando de um cometa. Um desfile inesquecível no Planet Fashion.
 

Copyright © 2024 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Latest article