Friday, May 24, 2024

Greve da Infraestruturas de Portugal gera perturbações nos comboios da CP

Must read

Os trabalhadores da IP procuram melhores salários e condições de trabalho. Tendo isso em perspetiva, a greve inicia-se hoje e repete-se quinta-feira, mas as perturbações poderão durar toda a semana.

Os trabalhadores da Infraestruturas de Portugal (IP) cumprem esta terça-feira o primeiro de dois dias intercalados de greve (quinta-feira também haverá greve), sendo que a CP fez saber que também poderão ser sentidas perturbações na quarta e sexta-feira.

Em causa estão as posições dos sindicados dos trabalhadores, que acreditam que são necessários aumentos dos salários e melhoria das condições de trabalho, de acordo com as explicações dadas à Lusa pelo presidente da Associação Sindical dos Profissionais do Comando e Controlo Ferroviário (Aprofer), Adriano Filipe.

Já em setembro de 2022, uma parte dos trabalhadores da IP entraram em greve tendo em vista os mesmos objetivos, mas os sindicatos acabariam por não chegar a acordo com o Governo. Posto isto, “os motivos desta greve são os mesmos” que os daquela paralisação, referiu o responsável, que recordou que se esgotou o prazo definido para que se alcançasse um consenso.

“O acordo seria fechar as negociações e compromisso de paz social até 31 de dezembro de 2023, mas face ao incumprimento por parte da IP, resolvemos decretar greve a partir do início de janeiro”, disse ainda em declarações à Lusa, antes de deixar uma garantia. “Será uma greve que, até que haja um acordo ou uma mudança de posição, irá continuar”.

O CES decretou serviços mínimos para o período da greve. “Os representantes sindicais devem designar os trabalhadores necessários para assegurar os serviços mínimos ora definidos até 24 horas antes do início dos períodos de greve”, pode ler-se no site daquele organismo. O mesmo ditou ainda que os trabalhadores deverão assegurar “a prestação dos serviços necessários à segurança e manutenção do equipamento e instalações”, em face da situação.

No que diz respeito ao impacto da greve, há a registar a supressão de 63,8% dos comboios programados (278 de 436) nesta terça-feira, até às 10 horas.

A CP informa, no seu site, que os serviços mínimos estão garantidos, com previsão de circulação dos comboios Alfa Pendular, Intercidades, Regional InterRegional e Internacional, a par dos comboios urbanos de Lisboa, Porto e Coimbra. Os clientes que já haviam comprado bilhete terão direito à devolução integral do valor ou a trocar por outro comboio da mesma categoria e classe.

Latest article